Há 98 anos nascia o compositor Roberto Silva do “Jornal da Morte”

“Tresloucada, seminua, jogou-se do oitavo andar, porque o noivo não comprava maconha pra ela fumar / Um escândalo amoroso, com os retratos do casal / O bicheiro assassinado, em decúbito dorsal / Cada página é um grito / Um homem caiu no mangue / Só falta alguém espremer o jornal, pra sair sangue, sangue, sangue…”

Célebre na releitura da Nação Zumbi a estrofe acima é de “Jornal da Morte”, canção escrita pelo radialista Miguel Gustavo. A composição, um retrato de velhas práticas da imprensa sensacionalista, foi primeiramente gravada por Roberto Silva, em 1961, e está presente no volume 4 da série “Descendo o Morro”.

Nesta segunda-feira (9), são lembrados os 98 anos de nascimento de Silva, “O Princípe do Samba”. Nos comentários, a original e a versão da Nação.

Por: Marcelo Pinheiro