O funk, rap e uma atitude rock and roll e a Black Continua Uhuru Consciousness

A África é contemporânea e pulsa! Por este motivo, além de um intenso trabalho de arqueologia rumo às redescobertas do passado, uma cartografia de produções contemporâneas é possível, necessária e um trabalho que sempre vale a pena. Soweto, abreviação para South Western Townships, foi um grande enclave de resistência anti-Apartheid entre meados dos anos 60 e o final do regime. Ainda hoje segue sendo uma das regiões que tem a maior concentração percentual de população negra numa África do Sul que segue muito marcada pela questão racial.

De Soweto vem a Black Continua Uhuru Consciousness, ou BCUC: em vias de lançar seu segundo álbum, a banda infusiona funk, rap e uma atitude rock and roll em temas tradicionais de etnias sulafricanas e também em temas gospel das igrejas anglicanas locais – entre elas a de Desmond Tutu, da qual os membros foram frequentadores. O resultado é energia pura ao vivo e em disco, com longos mantras de resistência, denúncia e contraposição que lembram muito a atitude política dos atos-concertos de Fela Kuti. Seu primeiro álbum, Our Truth, foi lançado em vinil pelo selo francês Nyami Nyami Records e pode ser ouvido aqui no Boteco nas últimas quintas-feiras do mês – em noites de TERCER MUNDO!

Por: Stéfanis Caiaffo